05/01/2021 - Nota do CETENE sobre o acidente no Museu Goeldi

No início deste novo ano, ainda envolvidos pelo sentimento difuso da solidariedade e pela esperança de dias menos carregados de tristeza e desamparo, como sempre acontece nestes feriados de final de ano, fomos surpreendidos com a notícia de um grave acidente, sem vítimas, nas instalações do Museu Paraense Emilio Goeldi, uma das mais importantes instituições de pesquisa do Brasil.


Na manhã de sexta-feira (1º), o mais antigo e emblemático prédio da sede do Museu Goeldi foi severamente danificado pela queda de parte de uma arvore de proporções amazônicas. A Rocinha, como o prédio é carinhosamente conhecido desde o século XIX, é uma edificação histórica que, no passado, abrigou diversos laboratórios e reservas técnicas, e que está em funcionamento ainda hoje abrigando exposições temporárias. Sua importância histórica e sua relevância científica são enormes, ainda maiores que as proporções deste desastre.


Segundo nota divulgada pelo Museu, o impacto provocou danos à estrutura do prédio, único exemplar característico das casas rurais típicas do século XIX de Belém aberto à visitação pública. Janelas, tesouras e laje foram afetadas, assim como o mobiliário expositivo. Como não havia funcionários circulando pelo local, em função do feriado, ninguém foi atingido ou ferido.


Como a mais antiga das instituições museológicas do Brasil, o Museu Goeldi sofre os efeitos do quadro crítico no qual se encontra a ciência brasileira. Com orçamentos menores a cada ano, o Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação resiste apenas à custa do comprometimento e empenho de suas equipes, insuficiente diante dos desafios. Teme-se mais perdas para o conhecimento científico brasileiro, como ocorreu com o Museu Nacional do Rio de Janeiro, que em tragédia recente teve toda a sua sede histórica reduzida a cinzas num incêndio de triste recordação.


Em um momento de crise internacional, com uma pandemia que permanece ameaçando a todos, fica nítido o caráter essencial das instituições científicas, e surge o clamor para que voltem a ser fortemente apoiadas. É de fundamental importância que as instituições científicas tenham as condições mínimas necessárias para que continuem cumprindo seu papel de suporte ao desenvolvimento do país.


O orçamento para o desenvolvimento científico e para a inovação precisa refletir as necessidades de uma sociedade em crise, que busca novas soluções. Os recursos atualmente disponíveis para as unidades de pesquisas do Brasil não são suficientes para manter sua infraestrutura e o quadro de pesquisadores, que envelhece rapidamente. Com um sistema à beira do colapso, a ocorrência nas instalações do Museu Goeldi nos alerta para este problema mais uma vez. Nossa solidariedade a esta Instituição de grande reputação e inestimável contribuição à sociedade brasileira.


Diretora do CETENE